Oi. Tudo bem?

Então, às vezes eu apareço por aqui. E desta vez o motivo é bem legal. É que estava eu olhando os e-mails do blog e aí que recebi uma história super mega demais da conta. É a história da Arcise, que há um ano vive com sua gatinha, a Tiffany Vivi. Eu geralmente conto as histórias com as minhas palavras e tal, mas a Arcise mandou um texto tão dela e tão gostoso e tão lindo que eu não posso me intrometer. Acho que vocês concordarão:

“Há um ano apareceu uma gatinha dentro do meu carro, mas a história de vida da Tiffany não foi tão simples assim, vamos lá…
No dia 06/07/2012 um vendedor de sinal perguntou se eu tinha gato, com a minha negativa ele disse: mas eu ouvi um miado, no qual eu retruquei imediatamente: nem pensar, tenho medo, pavor, pânico. Eis que no sábado dia 09/07/2012 ao abrir o porta malas do meu carro para colocar os presentes de aniversário do meu sobrinho-afilhado Sthéfano me deparo com uma gatinha filhotinho magra com fome e sede, a minha irmã a pegou, subiu com ela para o apartamento, fez leite e eu assimilando tudo aquilo, só poderia ter sido no lava-jato que ela entrou.

Apesar de apenas 3 meses (segundo o vet) eu tinha medo e nojo dela, eu tocava nela e lavava a mão, tocava e lavava, não permitia ela nos quartos e o lugarzinho dela era a parte dos fundos do apartamento, bastava um rosnado para eu sair correndo aliás não sei porque a Tiffany veio com um defeito de fábrica ela é super ultra mega giga power plus arisca e morde a mãe ou qualquer um que queira fazer carinho fora de hora.

A primeira grande briga com a minha irmã foi por causa do nome eu queria alguma coisa relacionada a filmes infantis totalmente sem criatividade tipo: garfilda, simba, pinóquia, nema… depois de vários nãos, credo, que horror aceitei a sugestão de um amigo o Helder padrinho da Tiffany e ainda escolheu desse jeitinho patricinha com 2 efes e com ipisilon.

Depois de tantas peraltices ela virou Tiffany Vivi (vivi de sobrevivi). As nojices acabaram, a paciência em educá-la também, nem a Arcicracia funcionou, muito pelo contrário a Arcicracia caiu em desuso e a Tiffanycracia assumiu o império. Faz o que quer, como quer, na hora que quer, dorme 16 horas por dia e fica acordada justamente na minha hora de dormir,é o meu despertador, mas também existe regras e cantinho da disciplina né senão comeria doces, comida de gente e vivia suja pois adora se esfregar na sujeira de uma varrida de casa, odeia banho, nunca precisou ser ensinada a usar o banheiro e é super limpinha, adora televisão e desenho, fica prestando uma atenção de forma incrível. Já fez 3 cirurgias e tá 100% curada. Tentei educá-la com borrifador de água ou palmas no pé do ouvido, mas depois parei porque achei muito humilhante.

O que sinto por ela? AMOR, tem muitas pessoas que criticam e censuram meu amor por ela é como se eu gostasse mais dela que de humanos é como se eu preferisse a gata a uma criança, quer que eu responda com sinceridade? eu prefiro todos que eu amo, não meço meu amor, AMOR não tem contraindicação, AMOR não é competição nem comparação. AMOR é AMOR, sentimento que brota no fundo do peito e que nos faz feliz. Tiffany Vivi você colore a minha vida e eu tenho certeza que nesse 1 ano de convivência eu me tornei uma pessoa melhor, mais paciente, mais humana e mais feliz. Te amo minha periquitinha!

Arcise Câmara”

arcise

Thiffany Vivi, a “periquitinha” da Arcise

 

E então, enxugaram as lágrimas?? É que tem mais um textinho que a Arcise mandou, dando um toque para aquelas pessoas que “acham” que odeiam gatos (na minha opinião, elas nunca conviveram com um e, portanto, não podem afirmar o que desconhecem):

“Acho de uma deselegância, você acaba de revelar que tem gato, que ama gato, que sua gata é a coisa mais maravilhosa do mundo e a pessoa diz: eu odeio gatos. Soa para mim como um punhal cravado no peito. Exagerada? Talvez, mas eu internalizo como se eu dissesse: Eu tenho filhos e a pessoa respondesse: eu odeio filhos. Quase sempre, quem odeia gatos, nunca os tiveram, eles são compostos por pêlos, miados e amor. São independentes e inteligentes, um pouco teimosos e manhosos, mas que somando as qualidades e diminuindo os defeitos o saldo é positivo, aliás o saldo é incrível, o melhor saldo que alguém poderia ter na conta.

Amor é amor, acho engraçado também como pessoas tão apegadas a outros animais, como o cachorro, por exemplo, podem odiar gatos. Talvez você possa preferir cachorros, simpatizar com cachorros, mas dizer odeio gatos e amo cachorros pode ter uma linha controvérsia no meio do caminho. Eu tenho um bichinho, o amo, o respeito e não respeito o bichinho do outro porque não é o mesmo bicho que o meu. Pra gostar de cachorros não é necessário odiar gatos nem vice-versa, nem versa e vice.”

 

Tags: , , ,

Eu já falei aqui da Lil Bub, a anãzinha mais fofa do mundo. Daí que eu também mostrei que ela conheceu o Jojo Richman, que eu amo porque meu marido ama e que eu até já fui no show e tudo mais (só falei isso pra me exibir).

Daí que eu descobri que a Lil tem um pai que tem um estúdio e que por isso conhece vários fodões do rock. E aqui eu também descobri que a Lil tem um talk show só dela e já fez três programas. Este último foi com o Steve Albini, que já produziu Pixies, Breeders, Nirvana, Stooges e mais vários nego massa do rock.

Maaaaaaas não precisa nem gostar de música nem entender inglês pra assistir o vídeo. Dá um play aí e vamos falar a língua da fofura – atentem pra hora que a Lil fica entediada e dorme no meio da resposta. Não é muito mega ultra amor por essa pequerrucha?

Tags: , ,

Gente, antes de mais nada, preciso compartilhar algo com vocês. Ontem, eu sentei toda empolgada pra escrever sobre a história da Pink e da Laís e da Rutha e daí que eu tô num computador péssimo porque o PINGO derrubou o meu note no chão e ele tá lá no hospital de notebooks e daí esse note aqui desligou sozinho e eu tava escrevendo no bloco de notas sem salvar NADICA DE NADA e PUFT PERDI TODO O TEXTO. Fiquei feliz? Façam suas apostas.

Bom, belê, tô bem, recuperei, tô no Google Docs, que salva tudo automaticamente online. Beijo, Google Docs!

E aí vai uma fotinho só pra ceis saberem do tipinho de mini gente idosinha que eu vou falar – continuando a série gatos idosos, que começou com o Cookie.

A diva sendo diva

A diva sendo diva

E então vamos lá, novo texto.

Não sei se vocês conhecem o Blog da Pink, mas se não conhecem, deveriam conhecer. Antes, o blog também era da Rutha (in memorian), a diva prateada da Laís, que era assediada pelo gato da vizinha e… engravidou. Disso, nasceu a Pink, meio prata, meio off-white (de acordo com a sua dona Laís) em 15 de abril de 1999. A Laís diz que ela é uma senhora do século passado, eheh.

Ah, e o blog também é do Barum e da Luna, os cachorros da Laís. E, acreditem, todos eles, gatos e cachorros, possuem namoradinhos pela vizinhança, que também aparecem no blog. Ou seja, o blog e a casa da Laís são que nem coração de mãe, e, pelo que eu conheço virtualmente da Laís, o coração dela é total de mãe mesmo – ou de vó, né, Laís? (não me mata, só uma brincadeirinha).

Bom, a Pink é uma velhinha joinvilense (assim como eu e o Pam) com alguns probleminhas de velhinhos. Além de estar mais preguiçosa e mais dorminhoca – como todos os nossos idosinhos – ela tem insuficiência renal crônica e, por isso, precisa tomar muita água. Só que a princesinha só gosta de água corrente. “Ganhei uma fonte linda de uma amiga do Facebook, mas ela só bebe da fonte durante o dia. Por isso, eu faço o sacrifício de acordar todas as madrugadas pra abrir a torneira pra ela”. Mimadinha, né?

Além disso, a Pink precisa tomar remédio diariamente por conta de uma gastrite causada pela insuficiência renal. “Quando ela era mais jovem, era um drama terrível dar comprimidos pra ela, mas agora ela toma direitinho – mas ainda não gosta”, diz a Laís. E, apesar dessas peculiaridades por conta da idade, a Laís enfatiza que a Pink leva uma vida muito feliz e tranquila. A gente acredita, é só ver a daminha lá no blog dela, toda toda.

“Ela é minha filhinha querida! Como meus filhos já são adultos, ela cumpre muito bem o papel de bebê da família. Todos os animais escolhem seus donos, e ela me escolheu. Sempre que eu sento em algum lugar, ela vem correndo pra ficar no meu colo ou pertinho de mim, se esfrega e pede carinho (INGUAL O PINGUINHO!)”. Óin.

“Uma vez ela subiu numa árvore de 5 metros e ficou olhando lá pra baixo. Eu não sabia o que fazer e quase chamei os bombeiros, mas assim que começou a escurecer, ela desceu correndo”. Ai, ai, Pink, que susto você deu na sua mamivó!! “Ela convive com dois cachorros, mas não suporta outros gatos, não tinha amizade nem com sua própria mãe”. Ihihih, vai entender essas coisicas?

O filho da Laís e a Pink, num antes e depois

O filho da Laís e a Pink, num antes e depois

A filha da Laís e a Pink

A filha da Laís e a Pink

P.S.: A Laís não é só coruja com os pets, mas também com os filhos humanos, por isso as fotos dos filhotes aqui 😉

 

 

MARU E HANA

Há uns quinhentos e dois anos, eu escrevi sobre o gato Maru, um Scottish Fold que mora no Japão e é a coisinha mais querida do mundo, além de ser uma celebridade felina. Pois que o Maru era filho único e rei supremo, até que, agora, com seis anos, o Maru ganha a Hana, uma irmãzinha adotada.

Dei uma googlada pra ver se alguém está falando sobre a Hana e só achei que ela é adotada e que, em três dias, já fez amizade com o Maru.

Sai daí, Hana

Sai daí, Hana

Aff, tá bom, pode...

Aff, tá bom, pode…

ficar. <3 (fotos tiradas do site do maru*)

ficar.

Fotos retiradas do blog do Maru.

Aqui  é o canal do youtube do Maru – e agora da Hana também.

Descobri a irmãzinha do Maru pela Laís, a mãe da Pink (blog da Pink) – ou seria avó?

Bom, gente, eu perguntei no facebook sobre pessoas que têm gatos velhinhos em casa pra eu poder fazer um textinho porque eu acho o máximo e já me apaixono loucamente por essas pessoas. Acho sinônimo de amor, carinho, cuidado. Aí, algumas pessoas me responderam. E aí que eu resolvi que não ia mais fazer um textinho, mas sim, vários textinhos. Porque cada história tem que ser contada com todos os detalhes que elas merecem. Então, em vez de fazer um textão looooooooongo, eu vou fazer vários, cada um com um pefil de um véinho. Tá? Tá.

Então tá. O primeiro vai ser o da Claudia Montanaro, lá de São Paulo. Ela tem o Cookie, um gatão de 12 anos (11 anos e 10 meses a Claudia disse, mas, né, arredondemos). O Cookie chegou pra ela num momento bem difícil da vida, logo após a morte do seu pai. Ela disse que o irmão dela e a cunhada foram morar com ela e a mãe pra ajudar nesse momento e levaram junto uma gatinha, que teve quatro filhotinhos: dois foram doados e dois ficaram com eles. Um é o Cookie, e o outro, o irmãozinho, faleceu ano passado…

E olha só que veio mais uma tristeza nesse percurso. O Cookie ficou sendo da cunhada dela. Ela, porém, também faleceu e jovem, de câncer… “Ela pediu que eu cuidasse do Cookie por toda a vida dele. Pensa! Perdi meu pai e minha cunhadinha em 2 anos, mas ficou o Cookie, igualzinho um gato que meu pai teve; ele era maluco por animais”.

Então, o Cookie deu aquela força felina pra Claudia num momento que ela super precisava. E a gente sabe que eles ajudam mesmo, né? Brincando, dando carinho, ou apenas sendo eles – que já é super amor. “Fui ficando doida de amores por Cookie, um gatinho muito peralta. Hoje, é um senhor muito meigo, brincalhão e amoroso. Os gatos mudam muito com a idade, mas a essência é a mesma”, ela diz. É verdade.

Gatão o Cookie, né?

Gatão o Cookie, né?

Eis que o senhor Cookie ficou doente no ano passado e foi praticamente desenganado por conta de uma pancreatite aguda severa. Nesse período, a Claudia descobriu um “enviado de Deus”, como ela mesmo descreve, o especialista em medicina felina Dr. Alexandre Daniel. “Ele salvou meu filho, minha vida, minha razão de viver”. Óin. Quanto amor.

A Claudia diz que o Cookie é enviado pelo pai dela, porque é seu guardião e anjo da guarda, além de ser uma cópia do gato que o pai dela amava. “Ele me mandou Cookie para que eu pudesse suportar a ausência dele, para que eu ficasse protegida. Cookie é minha paz de todos os dias, meu encontro com Deus, luz do meu caminho, alegria sem fim”.

Agora, o Cookie faz visitas periódicas ao veterinário para controlar uma insuficiência renal estabilizada, come ração especial e recebe muito amor. “Deixo de fazer muitas coisas só pra estar com ele. Amo seu respirinho motorzinho, o cheirinho do pelinho fofo”.

Claudia, que você viva mais muitos ótimos momentos com seu velhinho lindo!! Aliás, um jovem senhor, digamos assim.

A Claudia e seu amorzão

A Claudia e seu amorzão

Update: Em 12 de dezembro de 2013, aos 12 anos, o Cookie virou uma estrelinha linda protegendo a sua mami…

Tags: ,

E então que se passaram 15 anos de Pam. É agora, em agosto, em algum dia destes, o aniversário do meu bebezão. Isso porque ele chegou a mim no comecinho de outubro de 1998, com aproximadamente 45 dias.

 

Olha só como era pititico o meu lion

Olha só como era pititico o meu lion

E nesses 15 anos que se passaram e eu vivi muita coisa junto ao meu leãozinho. A gente se mudou de apartamento váááárias vezes, porque eu era estudante universitária, morando de aluguel, às vezes com várias pessoas, às vezes com menos. E ele sempre lá, do meu lado, com seu jeitinho ranzizinha, seus ataques às minhas batatas da perna, suas brincadeiras desengonçadas – que, muitas vezes, me tiraram sangue.

A gente morou em Floripa, voltou pra Joinville – onde eu e ele nascemos – e voltamos pra Floripa. Nos últimos 8 anos, ele ganhou um papaizinho, o meu maridinho, e mais um apaixonado. Aliás, o Pam arranja admiradores por todos os lugares que passa – inclusive na internet, né? Aqui tem um pouco da vidinha dele.

15 anos depois, sou essa coisa gigantesca e linda

15 anos depois, sou essa coisa gigantesca e linda

Eu vivo falando dele e vivo mostrando ele pra vocês, aqui e no Facebook. Aliás, aqui eu descrevi várias manias do meu Pâmelo – que, por sinal, continuam AS MESMAS. E quem me conhece, sabe do meu amor gigantesco por ele. E eu só sei que amo cada vez mais, todos os dias, todas as horas. Eu amo o cheirinho dele, a patona de leão, o bafo (de leão também, ehehehe), as mordidas fortes, os miados sofriiiidos de manha e pra pedir carninha, franguinho e peixinho, o jeito dele se grudar na gente pra dormir, o ronco quando dorme, os miados no meio do sono, as poses de rei, o olhar de amor, o ronrom mais gostoso desse mundo, o carinho que a gente recebe dele sempre sempre sempre.

E eu só quero que ele viva mais uns 30 anos ehehehe. Brincs, quero que ele viva o tempo que ele quiser e puder viver, sempre com saúde e amor.

Parabéns, meu leão!!!

Parabéns, meu laranjinha

Parabéns, meu laranjinha

Tags: , , ,

Gente, resolvi traduzir um texto super legal que li no site Care2, indicado na página do Facebook Eu Amo Gatos. Achei que cês iam gostar muito. Daí, além de traduzir, também associei todos os sinais aos meus gatões, claro, pra me exibir e dizer que meus meles me amam, eheheh. Aí, saiu isso aí embaixo.

Você já se perguntou se seu gatinho realmente te ama?

De mimados a mal humorados, nossos amigos felinos não são fáceis de deduzir. Diferente dos cachorros, que mostram claramente sua afeição por nós, gatos têm maneiras menos óbvias de comunicar o que sentem.

Se você quer descobrir o quanto seu gato gosta de você, observe esses 10 sinais de amor verdadeiro:

1. Cabeçadinhas. Se uma pessoa te dá uma cabeçada, algo bom não deve ser, mas com um gato a história é bem diferente. Receber uma “cabeçadinha” de um gato é um privilégio muito especial. Durante essa troca, seu gato deposita feromônios que representam sentimentos de confiança e segurança que eles têm para com você.
(PINGO E PAM FAZEM ISSO SEMPRE, SEMPRE, SEMPRE. ELES INCLUSIVE PASSAM O DENTINHO CANINO NA NOSSA MÃO. COSAMAISFOFA)

2. Ronrons poderosos. Gatos ronronam por muitas razões, mas há um ronrom mais encorpado que eles guardam exclusivamente para seus amores verdadeiros. Ronronar também diminui o batimento cardíaco do seu gato e o ajuda a relaxar e mostrar sentimentos de contentamento.
(PAM É RONRONENTO. SE A GENTE DÁ CHEIRINHO, É RONROM QUE NÃO ACABA.  QUANDO TÁ DORMINDO COM A GENTE, É RONROM RONROM RONROM. PINGO NÃO É  MUITO DE RONRONAR, A NÃO SER QUANDO ELE TÁ MAMANDO NO EDREDON EM CIMA DA GENTE OU ÀS VEZES DE MANHÃ CEDO QUANDO ELE TÁ COM SAUDADES
DA GENTE – PORQUE A GENTE TAVA DORMINDO)

Prrrrrrrrrrrrrrrrrr

Prrrrrrrrrrrrrrrrrr

3. Mordidinhas de amor. Se o seu gato é um mordiscador crônico, é porque ele sente algo por você. É muito fácil distinguir uma mordidinha de amor e uma mordida felina real. Uma dói e a outra dá cócegas. Essas mordidinhas não são um sinal comum de amor, mas quando um gato as adota, eles estão querendo dizer “você é demais”.
(PINGO É UM MORDISCADOR CRÔNICO. PAM NÃO SABE BRINCAR DE MORDER. MORDE PRA AZUCRINAR MESMO)

4. Espasmos na cauda. Dá pra saber muita coisa observando o rabo de um gato. Assim como a cauda fica eriçada quando eles estão assustados ou agitados, ela vai se movimentar bem na ponta quando eles estiverem felizes. Se você notar isso quando o seu gato chegar perto de você, pode ter certeza que você é o bambambam.
(OS DOIS TÊM DESSES ESPASMOS, MAS O PAM TEM UNS ESPASMOS MUITO DOIDOS QUANDO TÁ PEDINDO ALGUMA COMIDA BOA – CARNE, PRINCIPALMENTE. O RABO DELE SE TREME TODO, É A COISA MAIS DOIDA).

5. Barriguinha pra cima. Quando seu gato se joga no chão e começa a se rolar pra lá e pra cá, ele está querendo atenção. Os gatos só mostram suas barriguinhas voluntariamente a quem eles confiam. Sentir-se seguro significa muito para um gato, e quando eles se esparramam na sua frente, quer dizer que eles estão se sentindo amados e protegidos.
(BOM, OS DOIS CURTEM UMA PANÇA PRA CIMA, MAS O PINGO É O CAMPEÃO DA PANÇA – PRINCIPALMENTE SE FOR NO SOL. E ELE ATÉ DEIXA A GENTE APERTAR)

pouca pança?

pouca pança?

6. Lamber seus cabelos ou orelhas. Não é comum os humanos serem dignos dessas seções especiais de higiene, mas se seu gato escolheu lamber seus cabelos ou orelhas, fique certo que você está incluído no seu círculo. Esse é um dos sinais mais óbvios de amizade e confiança que você pode ter com seu amigo peludo.
(BUÁ, NENHUM DOS MEUS MELES FAZ ISSO)

7. Amassar/afofar. Gatinhos afofam suas mamães pra estimular a produção de leite, e essa é a razão pela qual os experts acreditam que esse comportamento nos gatos adultos seja uma nostalgia da infância, relembrando momentos felizes que eles tiveram quando pequenos. Então, da próxima vez que seu gatinho mover suas patas pra cima e pra baixo em você, lembre-se de que eles não estão só querendo te deixar confortável pra uma soneca, mas estão expressando sua adoração por você.
(AMBOS SÃO AFOFADORES, MAS O PINGO GANHA DISPARADO, AFOFANDO A MIM E AO MEU MARIDO POR HOOOOORAS TODAS AS NOITES)

8. Piscar lento de olhos. Dizem que os gatos beijam com os olhos, então não espere compartilhar esse sinal de afeição com qualquer gato. Os gatos guardam o contato com os olhos apenas pra quem conhecem e confiam. Se esse contato é acompanhado de um piscar de olhos bem devagarinho, você acaba de ganhar um beijinho de gato. Retorne o amor fazendo o mesmo.
(OS DOIS DÃO PISCADELAS PRA GENTE. COSTUMO DEVOLVER COM UM BEIJINHO NO AR OU UMA PISCADELA TAMBÉM. GERALMENTE GANHO MAIS PISCADELAS EM RETORNO E ASSIM SUCESSIVAMENTE)

momento piscadelinha

momento piscadelinha

9. Hora da soneca. Os gatos escolhem locais quentinhos e seguros pra dormir, então se o seu peludinho decide dormir ao seu lado, ou, ainda melhor, no seu colo, você deve se sentir especialmente honrado. Os gatos são bastante vulneráveis quando estão dormindo e não há maior cumplicidade do que quando eles te escolhem como seu local de soninho.
(OS DOIS DORMEM GRUDADINHOS NA GENTE. O PINGO, INCLUSIVE, NO COLO, EM CIMA DAS SUAS COSTAS, DO SEU PEITO…)

tô confortável?

tô confortável?

10. Presentes. Não há como negar que uma coisinha morta não esteja no topo das suas preferências, mas um gatinho que te presenteia com algo assim merece ser reverenciado. Apesar da domesticação, gatos ainda têm instinto de caça e dividir seus prêmios com você é um sinal de amizade verdadeira.
(BOM, MORO EM APARTAMENTO E OS INSETOS QUE EXISTEM AQUI SÃO MINÚSCULOS. ELES COSTUMAM COMER ANTES DE DIVIDIR, EHEH)

Se você é um afortunado de dividir a vida com um gato, vai entender que eles estão conscientemente conectados conosco. Fazendo a higiene, ronronando ou afofando, os gatos são amáveis e afetuosos e formam laços muito especiais com seus humanos preferidos.

Tags: , , , , ,

GATOS NO FACE

Vocês viram os novos emoticons do chat do Facebook? Tem uma aba só de gatinhos – Será que o Zuckerberg é gateiro? Dá pra gente conversar com as pessoas e mandar gatinho feliz gatinho triste gatinho comendo gatinho dormindo patinha de gatinho e mais um monte de gatinhos.

Olha aí embaixo alguns deles.

gatinhos

Fófis, né?

piquenicowillywonca

Pra quem não conhece o meme do Willy Wonka Irônico, dá uma olhadinha aqui.

Ontem chegou aqui em casa essa caixinha linda da Purina, com quatro potinhos da ração superpremium Fancy Feast. São 4 sabores: frango ao molho, frango e cenoura ao molho, salmão ao molho e truta e espinafre ao molho. As latinhas são tão fofas que dá vontade de colocar na prateleira da cozinha pra enfeitar (tá, menos).

Caixinha fofinha

Caixinha fofinha

 

 

caixinha bonitinha aberta

caixinha bonitinha aberta

E eis que fui fazer a prova real e, claro, alimentar os meus bebês com a ração. Resultado: assim que abri a latinha, dois gatos endoideceram e correram de onde estavam pra comer a tal comidinha (o Pam é o doido da comida, sempre faz isso, mas dessa vez ficou ainda mais doidão. Já o Pingo é super tranquilo com isso, mas dessa vez também veio correndo).

Ou seja: aprovado!!

Porém, pra de vez em quando, já que o precinho é meio salgado: R$ 3,50 a latinha de 85g.

Olha só o vídeo da propaganda da Fancy Feast:

Update: Ó quem gostou da caixa do presente!

:)

🙂

Tags: , , ,

« Older entries § Newer entries »