O NINNO QUE ERA NANNA

Estão faltando perfis neste blog, certo? Bom, e já que eu não vou até eles, eles vêm até mim. Há alguns dias, a Dayse Araujo, lá de Fortaleza, me enviou um e-mail, contando a sua história com o Ninno, um persa muitíssimo fofo. Segundo ela, a identificação com o blog foi total, ja que ela se define uma “loucaporgatos.com”. “Me aliviou saber que existem tantas pessoas capazes de amar esses bichanos lindos e encantadores tanto quanto eu”, escreve a Dayse.

Ela diz que sempre adorou e criou todos os tipos de gatos, de siameses a pés duros (essa expressão eu confesso que não conhecia, achei o máximo, vou começar a chamar o Pingo, meu viralatinha, de pé duro). Agora, com o Ninno, ela vive uma história de muito amor e carinho.

O Ninno foi um presente do noivo da Dayse. Como eu já contei aqui que aconteceu com o meu Pam, o Ninno foi vendido como fêmea e chamado de Nanna. “Foi quando, observando minha suposta ‘gatinha’, que tinha apenas 2 meses, senti um volume estranho em suas partes intimas”, conta a Dayse. Mesmo assim, um veterinário confirmou que se tratava de uma gatinha fêmea.

Mas a Dayse não acreditou muito e foi a um segundo veterinário, que disse que não dava pra saber o sexo do gatinho ainda, já que era muito pequenino. O terceiro veterinário, aos três meses do Ninno, confirmou que era um machinho.

A mamãe coruja já  tinha comprado todo um “enxoval” pink pra Nanna – que agora era Ninno. “Meu pequeno teve de passar por acompanhamento psicológico, pois o transtorno foi grande”, brinca.

Passado o pequeno engano, o Ninno hoje tem quase dois aninhos e é muito amado.”Ele é a alegria de minha casa, minha família, meus amigos. Além de carinhoso, muuuuito bagunceiro, é muito inteligente e obediente. Adora os pintinhos que meu pai cria no quintal (insultar com eles, mas adora), tomar banho de sol, rolar na areia…”. Eu achei muito fofo o Ninno com os pintinhos. Foto de cartão.

“Acrescenta mais dias a minha vida saber que quando chego do trabalho, cansada ou não, triste ou não, chateada com algo ou não, o Ninno estará lá pra me receber, se acariciar em mim, me escutar, às vezes até grunir respondendo… Sempre e sempre…”. É ou não é uma louca por gatos?

Agora, as fotos da coisinha fofa. Foi dificílimo  escolher, já que a Dayse me mandou várias, uma mais gostosa que a outra. Mas não vou decepcioná-los, confere aí:

ele ainda era nanna, mas já era liiiiiiiiiiindo, ops, linda

mami, me põe aí no computador?

cresci, né? virei o ninno mesmo e continuei lindão

meus amiguinhos

pssssssssss, to nanando

e essa é a minha mami Dayse e meu papi Phelipe. eles se casam neste ano. parabéns! pelo casamento e pelo filhote, claro 😉

  • Andressa

    Comigo aconteceu exatamente o mesmo! Compramos “a” persa, colocamos o nome de Frida, compramos todo o enxoval rosa, topinhos para o cabelo, etc. (que ele insistia em tirar e naquela época eu não sabia o porquê! hehehe).
    Só quando ele tinha seus 5 meses, quando fui visitar a minha mãe que ela descobriu q ela era ele!!! Fiquei em choque no dia!
    A Frida hoje se chama Whisky, tem quase 3 anos e amamos mto ele!!
    Aqui em casa somos loucos por gatos. Todos os nossos 5 gatos (com excessão do Whisky) são recolhidos da rua (não resistimos àquelas carinhas qdo os vemos abandonados…) sem falar os outros 3 da minha irmã!! ehehheheheh

  • cristine

    Que legal, Andressa!!! E esses “erros” de identificação de gênero são bem comuns, né? Quando eles são muito pequenos, não dá pra saber mesmo… Mas a gente ama mesmo assim né, sendo menino ou menina…

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.