Sobre gatos e cachorros (e reality shows e o ET Bilu)

Bom, gente, negócio é o seguinte. Eu sou uma viciadinha em reality shows, não me perguntem por quê. Sou um pouco voyeur, eu e metade do planeta. E aí, não contente em assistir somente na hora do programa, eu ainda sou daquelas que paga pay-per-view do BBB e que assiste A Fazenda no computador, enquanto trabalha durante o dia.

E hoje tava lá o ao vivo ligado, eu trabalhando, quando, de repente, ouço a Simone (profissão: ex assistente de palco do Raul Gil) falando algo como “Eu acho gatinho bonitinho, mas bem longe, principalmente se for pretinho”. E aí começou com aquele papo que gato é egoísta, que gato se apega somente à casa, que gato não é companheiro etc. etc. etc. E aí também aquela ode ao cão: que cachorro é companheiro, que cachorro sente o que você tem, que cachorro te ajuda, que cachorro abana o rabo, que cachorro bla bla bla.

Primeiro: eu não tenho nada contra cachorro, eu adoro cachorro, eu não tenho cachorro porque tenho dois gatos e moro em apartamento, eu já convivi com cachorros, eu acho cachorro tudo de bom, cachorro é legal ponto. Segundo: Tenho, sim, preferência por gato, e isso é uma coisa óbvia. Só pra ficar claro que eu não sou que nem esses defensores de cachorros que querem comparar cachorro gato enaltecendo um em detrimento do outro.

Mas eu fico brava puta irritada com esse povo que fala que gato é egoísta e bla bla bla. Pode não gostar de gato ou não querer conhecer gato ou não querer conviver ou ter medo por não saber lidar com um gato? Pode. Mas não pode falar do que não conhece, isso não pode.

Porque, me digam: esses pequenos seres dormirem grudados em você todas as noites é sinal de desapego? A pessoa trabalhar em casa e ter companhia de um frajolícia todos os dias em sua bancada de trabalho é desapego? O ronron quando você o abraça é apego à casa? E as brincadeiras no arranhador são ranzinice? E sair correndo atrás de você e depois se esconder? E esperar na porta quando você chega? E pular no box pra te acompanhar no banho? E te seguir pela casa quando você faz os afazeres domésticos? Me digam, isso é egoísmo, é indiferença, é ser traiçoeiro?

Gatos têm instinto, cachorros também. E personalidades diferentes. Não dá pra generalizar. Já vi cachorros atacarem pessoas por se sentirem ameaçados. Gatos também. Existem gatos mais sociais, mais antissociais, mais quietos, mais agitados, mais carentes. Em geral, eles são sim mais independentes, o que eu acho ótimo, mas têm seu jeito de deixar claro que se sentem amados.

Não escrevi este texto para que as pessoas pelamordedeus amem os gatos. Só escrevo pra dizer que BUSQUEM CONHECIMENTO (parafraseando ET Bilu). Ah, e nem vou comentar o fato dessa Simone, da Fazenda, ter complementado a frase com “ainda mais se for pretinho” – eu ainda espero ter ouvido errado.

2 Comments
  • Marilia
    Posted at 05:46h, 15 August

    Nossa! Eu fico puta da cara tb!!!!!
    Ódio de gente ignorante.
    Adorei o post.

  • Laís
    Posted at 16:49h, 17 August

    Eu tenho cachorros e gatos e posso afirmar que os gatos são muito mais companheiros do que os cães. É verdade que os cães entraram na minha vida apenas porque o meu marido gosta, mas apesar de ter a Luna que me segue o dia inteiro e me idolatra eu ainda prefiro a companhia amorosa e delicada dos gatos.
    É inacreditável que as pessoas ainda sejam tão ignorantes com relação aos felinos!
    Beijos

Post A Comment